Tipos de Síndico

Tipos de Síndico e Seus Modelos de Gestão

O papel de um síndico é administrar um condomínio. Mas o modelo de gestão utilizado depende muito das características do encarregado por essa função. Aliás, você sabia que podemos encontrar quatro tipos de síndico?

Inclusive, o tipo contratado pode ter um impacto significativo no gerenciamento do edifício, implicando na confiança exercida aos moradores, a administração eficaz das finanças e até a resolução de conflitos.

No post de hoje, vamos abordar as hard skills e soft skills indispensáveis a esses gestores, bem como os tipos de síndico e liderança. Em qual será que você se encaixa?

 

Os tipos de síndico

Existem quatro diferentes tipos de síndicos, e cada um tem seu próprio modelo de gerenciamento e características. São eles:

  1. Síndico pessoa física condômino (Morador): É o proprietário de uma unidade que resolve se eleger ao cargo e é devidamente eleito em uma assembleia condominial.
  2. Síndico pessoa física não condômino: Nesse caso, é qualquer pessoa eleita em assembleia que não seja proprietária, como por exemplo um inquilino.
  3. Síndico pessoa jurídica condômina: É quando temos um sindico profissional condômino ou até algumas vezes, em empreendimentos novos, onde a Construtora exerce a função de síndico. Embora não tão comum, isso pode acontecer. Mesmo nesse caso, é preciso que a eleição ocorra em assembleia.
  4. Pessoa jurídica não condômina (Síndico Profissional): Nessa modalidade, temos várias empresas de sindicatura que vem exercendo este papel no mercado, diante da complexidade da função, e algumas vezes, a própria administradora exerce.

 

Os síndicos e os tipos de liderança

O síndico é alguém a quem é confiada a responsabilidade de cuidar de um condomínio. Isso inclui propriedade, finanças e até mesmo a harmonia e o bem-estar dos moradores. Nesta função, existem diferentes modelos de gestão, sendo os tipos mais comuns de liderança os seguintes:

 

O síndico amigo

É o síndico “gente boa”, que passa a mão na cabeça de todos, se envolvem por demais com a vida dos moradores, como se fossem amigos íntimos. Ele até mesmo participa de algumas “sociais” com os condôminos. No entanto, é preciso ter cuidado com esse tipo para não perder o controle entre o lado profissional e a amizade.

Esse tipo de postura pode causar problemas de convivência, pois alguns moradores podem acusar o síndico de favorecer outros e vice-versa. Portanto, é importante definir um limite de intimidade.

 

O síndico fofoqueiro é um dos tipos de síndico

Esse é um dos tipos de síndicos mais problemáticos em condomínios, pois ao invés de promover a harmonia, acaba gerando intrigas entre os moradores.

O leva e traz de informações pode causar conflitos que causam prejuízos até aos condôminos que não estão envolvidos no assunto. Sem mencionar possíveis processos judiciais por difamação e calúnia, por exemplo.

 

O síndico mandão

Esse tipo de liderança é uma das mais difíceis de lidar, onde o gestor tenta fazer tudo sozinho e impor seus ideais. Ele não tem problema em rejeitar as ideias dos outros e acha que é o único que sabe o que precisa ser feito no condomínio, muitas vezes apresentando comportamento agressivo e hostil.

Nas assembleias, faz de tudo para que sua opinião seja sempre aceita. É bastante comum que os moradores, por decisão conjunta, optem por uma assembleia para destituir o síndico autoritário.

 

O síndico omisso 

Pior do que um síndico que acredita que pode fazer tudo sozinho e tomar decisões sem se comunicar com os outros é o síndico omisso, que ignora os problemas e demora para agir diante de emergências.

É aquele tipo de síndico que sabe que o portão automático está com defeito, por exemplo, mas não toma providências para consertá-lo e semanas ou até meses se passam antes que o reparo ocorra.

O resultado dessa situação é uma série de problemas acumulados que vão desde o aumento da inadimplência, descontrole financeiro, déficits de caixa, até a falta de manutenção, que podem desvalorizar o condomínio e até levar a sérios prejuízos financeiros.

 

O síndico democrático

Ter um bom relacionamento com os condôminos é um fator importante para esses tipos de síndicos. Esse tipo de gestão geralmente tenta incluir os moradores no processo de tomada de decisão e discutir abertamente os problemas à medida que surgem.

O administrador democrático não toma nenhuma ação sem antes consultar pelo menos o Conselho ou a administradora. Portanto, os processos tendem a ser mais lentos, porém, os moradores costumam ficar satisfeitos com essa gestão, embora não seja possível agradar a todos.

 

O síndico empreendedor

O síndico empreendedor está sempre em busca de oportunidades, proposituras de grandes projetos, buscando os melhores resultados e benefícios ao condomínio, tanto financeira quanto funcionalmente. Esses perfis gostam de renegociar com os fornecedores e encontrar formas de economizar.

Devido a essa característica, os moradores tendem a apoiar esse tipo de síndico, pois quanto menor os custos e maiores os benefícios, melhor para eles.

 

O síndico pau para toda obra

Esse gestor está sempre lá para os moradores quando eles precisam dele. Muitas vezes, ele mesmo resolve os problemas do condomínio para agilizar as coisas e não deixar ninguém na mão, tenta ouvir a todos e fornece excelentes respostas. É muito gentil, generoso e prestativo.

Esses tipos de síndicos precisam ter cuidado para não se envolverem demais em funções que poderiam ser delegadas e acabar negligenciando tarefas essenciais para o funcionamento do edifício.

 

As principais hard skills necessárias aos diferentes tipos de síndico

Hard skills são habilidades que podem ser aprendidas, geralmente por meio de educação formal, como cursos técnicos e graduações. São mais tangíveis e mais fáceis de aprender do que as soft skills que veremos adiante.

Alguns exemplos de hard skills necessárias aos síndicos incluem:

  • Ter conhecimento das legislações pertinentes ao cargo (Código Civil, Lei do inquilinato, Regimentos internos, Convenção Condominial, Normas regulamentadoras etc.);
  • Familiaridade com contabilidade;
  • Saber fazer a gestão de contratos;
  • Conhecimentos de recursos humanos;
  • Afinidade com as áreas de administração e finanças.

Mesmo que uma pessoa não possua todas essas hard skills, ela ainda pode ser eleita, afinal, é possível contratar uma administradora de condomínio ou assessoria jurídica para auxiliar no exercício da função de síndico.

 

Quais são as soft skills indispensáveis aos diferentes tipos de síndico?

As soft skills são traços mais pessoais que podem ser aprendidos com a experiência de vida e geralmente não são ensinados, mas isso não significa que não possam ser melhorados. São menos tangíveis e podem ser mais difíceis de medir porque envolvem traços de personalidade ou valores pessoais.

As soft skills que mais farão a diferença na carreira de um gestor são aquelas que o levarão a ter sucesso na gestão e a melhorar as suas relações com as pessoas com quem lida no dia a dia. Isto inclui:

  • Inteligência emocional;
  • Criatividade para solucionar problemas;
  • Gestão de conflitos;
  • Liderança;
  • Empatia;
  • Organização;
  • Boas habilidades de comunicação;
  • Flexibilidade.

 

Enquanto as habilidades técnicas (hard skills) são indispensáveis para o papel de um síndico, as habilidades sociais (soft skills) são igualmente importantes. Inclusive, uma pesquisa da Page Personnel alerta que 9 em cada 10 profissionais são contratados por seu perfil técnico e demitidos por seu comportamento.

 

Considerações finais

O síndico é o responsável pela gestão condominial, mas cada síndico realiza um modelo de gestão.

Com qual dos tipos de síndico você se identifica? Você pode encontrar características semelhantes em mais de um dos perfis de liderança mencionados.

Você sabe quais são as 16 coisas que o síndico não pode fazer? Clique aqui e confira!

Commentários (0)
Postar um comentário
Commentários (0)
Postar um comentário