sistema de gás

Sistema de gás em apartamento: Quais os riscos?

Todos os condomínios e imóveis residenciais possuem algo em comum: cozinhas e banheiros. E, um dos itens indispensáveis nesses ambientes, é o sistema de gás. Também conhecido como gás encanado ou gás canalizado, consiste em uma forma de organização para melhor distribuição do recurso nos cômodos, seja para a preparação de alimentos ou aquecimento de chuveiros, torneiras e pias.

E, como outros recursos ou equipamentos utilizados em condomínios, o sistema de gás necessita de cuidados e manutenções periódicas. Do contrário, pode causar graves acidentes.

Para você ter uma ideia, de acordo com dados do Datasus, portal de notícias do Ministério da Saúde, na última década, cerca de 322 pessoas morreram de intoxicação por gases no Brasil.

Um caso recente que ocorreu no Brasil e que chamou a atenção foi o de um apartamento em Curitiba, no Paraná. Os peritos concluíram que um vazamento de gás foi responsável pela morte de uma criança de 12 anos, além de três feridos. Outro acidente foi o que aconteceu no Recife. Pelo mesmo motivo, houve a explosão em uma residência. Houve duas mortes, além de três feridos de uma mesma família.

Com o objetivo de evitar que o sistema de gás cause fatalidades como as citadas acima e cause danos estruturais, há uma série de medidas preventivas que devem ser tomadas em um condomínio. Saiba mais a seguir!

Legislação e sistema de gás para novos condomínios

Quando comparado ao fornecimento de gás comumente utilizado, feito por meio do botijão, o sistema canalizado é muito mais cômodo e seguro. Isso porque, por meio desse processo, há a disponibilização ininterrupta de gás, eliminando também a necessidade de trocar o equipamento.

Entretanto, para que esse processo seja ainda mais seguro, é de suma importância seguir a legislação regulamentadora.

Nesse cenário, a primeira coisa que se deve ter em mente é a proibição da presença de botijões em áreas comuns e privativas do condomínio, assegurada pelo Decreto 24.714/1987. Caso essa norma seja desobedecida, há uma série de consequências, que podem variar desde dificuldades para a emissão de laudos importantes (como o AVCB) até multas.

Além disso, o processo de canalização do gás deve seguir as diretrizes previstas pela ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que garantem segurança de todas as pessoas que frequentam o local.

Por fim, há uma série de obrigações sob responsabilidade do condomínio, como manter em bom estado as instalações de gás, preservar a brigada de incêndio e, ainda, contar com a manutenção de uma assistência autorizada sempre que houver algum tipo de problema.

Como realizar a manutenção do sistema de gás?

De acordo com a legislação, a manutenção de gás é obrigatória apenas no momento da renovação do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB). Entretanto, é essencial que o síndico responsável por administrar o condomínio faça esse processo de modo periódico, garantindo a segurança do local.

Nesse sentido, a manutenção é realizada por meio de algumas etapas, tais como:

  • Checagem das condições físicas das instâncias;
  • Análise da central do gás e das contenções de segurança para possíveis vazamentos;
  • Teste de estanqueidade, visando identificar vazamentos;
  • Observar se a posição do encanamento do gás representa riscos, como perto de fios elétricos ou cilindros de oxigênio.

É válido ressaltar que todo o processo de manutenção deve ser realizado por um profissional devidamente especializado e certificado.

Prevenção: como evitar acidentes?

Apesar da manutenção ser de responsabilidade do síndico e empresas autorizadas, é essencial que os moradores se mantenham atentos aos pequenos detalhes. Isso porque esse cuidado pode evitar não apenas vazamentos, mas também acidentes e prejuízos ao condomínio.

Desse modo, é de suma importância manter as tubulações de gás livres de objetos, sejam eles de uso pessoal ou comum. Como também, é necessário fechar o registro de gás após a utilização e sempre prestar atenção nas áreas de ventilação.

Pequenas atitudes no dia a dia podem evitar graves acidentes e tragédias, por isso, quando se trata de segurança, todo o cuidado é pouco.

É importante ressaltar que nos casos em que houver negligência na manutenção, que pode ocasionar acidentes ou danos à estrutura, o síndico pode ser responsabilizado. Por isso, é de suma importância atentar para manutenções e ensaios aos sistemas de forma rotineira.

Agora que você viu a importância dos cuidados com o sistema de gás.

Fique por dentro também sobre a saúde dos condôminos. Saiba quais são as principais doenças infectocontagiosas no condomínio e como realizar a prevenção

Commentários (0)
Postar um comentário

Commentários (0)
Postar um comentário