sindico morador

Sindico morador ou síndico profissional?

Está chegando a hora da AGO – Assembleia Geral Ordinária que, em alguns condomínios, além da apresentação das contas de 2019 e planejamento de 2020,  é também aproveitada para a eleição de novos síndicos. Esse é o caso do seu condomínio, está no ano de eleição?

Independente da maneira que for, ser síndico nunca é fácil. Há uma série de atribuições e situações com as quais esse precisa lidar no dia a dia, para as quais noções de administração e facilidade nas relações interpessoais, são indispensáveis. Porém, conforme a necessidade do condomínio, é possível escolher entre o síndico morador ou o síndico profissional.

Qual a diferença entre o síndico morador e o síndico profissional?

O síndico morador é aquele que, como um próprio nome já diz, um morador assume a responsabilidade de gestão do condomínio.

Já o síndico profissional exerce a atividade como ocupação principal. Como a profissão ainda não é regulamentada, ela pode ser exercida por qualquer um que tenha experiência na área e, de preferência, formação em administração.

Esse profissional pode até fazer parte do quadro de uma administradora de condomínios, mas é considerado um prestador de serviço do condomínio. Sendo assim é necessário regulamentar a sua contratação por meio de contrato de prestação de serviços.

Quais as habilidades necessários para um síndico?

Por isso, sendo um síndico morador ou um síndico profissional algumas habilidades são essenciais para o exercício da função. Entre elas estão:

  • conhecimento de administração;
  • conhecimento de finanças e legislação, como a trabalhista;
  • facilidade em lidar com pessoas;
  • capacidade de avaliar serviços;
  • iniciativa na gestão;
  • planejamento e organização;
  • capacidade de mediar conflitos.

Quais as vantagens de cada profissional?

Para decidir entre um síndico morador ou um síndico profissional é importante, primeiramente, avaliar a complexidade de administração do condomínio e qual o nível de envolvimento dos moradores.

Vale lembrar que um síndico morador, geralmente, tem maior familiaridade com as necessidades do condomínio, já que também é um usuário, facilitando as tomadas de decisões.

Além disso, pode ser vantajoso em condomínios com uma ou duas torres ou orçamento reduzidos, já que a remuneração pode ser a isenção de condomínio e um valor simbólico.

Em condomínios com muitas torres, várias áreas comuns como os condomínios clubes, ou ainda algumas peculiaridades, como os mistos, pode ser mais indicado optar por um síndico profissional.

Algumas vantagens dessa opção é que o síndico profissional se dedica a cuidar das questões do condomínio, geralmente, tem as habilidades necessárias para a função, possui relação imparcial com os condôminos, o que facilita na hora das cobranças e sanções.

Diante disso, conclui-se que não existe uma regra para a escolha entre síndico morador e síndico profissional. O que vale, nesse caso, é discutir em assembleia, levantar os prós e os contras de cada um e, a partir daí, definir qual a melhor opção para o condomínio em particular.

Fique por dentro de como funciona a Assembleia Digital, um serviço inovador nos condomínios.

Commentários (4)
Postar um comentário

Commentários (4)
  1. Maria Elizabete Dos Prazeres ELIZABETE R CAVALCANTE 12.02.2019 at 12:21

    profissional

  2. Muito útil e esclarecedora.

  3. Estive inadimplente por oito meses com o condomínio onde moro há 39 anos. Sempre paguei em dia pôrem tive suspenso meu benefício do INSS por Auxílio doença e tive que dar entrada no INSS fazendo o pedido de aposentadoria por tempo de contribuição . Isso demorou de Janeiro até Início de Setembro. Sem receber nada . Comuniquei áo condomínio direto com a síndica. E á administradora . Pois fui aposentado em Setembro por tempo de contribuição. Ja havia passado 7 anos pois contribui por 42 anos . Procurei a síndica para negociar os atrasados . Porém ela me mandou fazer acordo com a administradora que me fez o mesmo. Me mandou fazer acordo com a síndica que fizeram acordo com a comissão que fizeram acordo e depôis voltaram atráz eu não participei pois faço parte dessa comissão. Querem cobrar o valor do condomínio acrescido das reservas de manutenção que foi acordado por 12 meses uma taxa de 70 reais somaram com o valor do condomínio 140 .reais aí deu um total de 214. Reais acrescidos de juros . Que somando eles querem que eu pague 1.700 reais sem acordo do meu lado. O valor do condomínio 140 reais . Assumi e também os juros e depôis a taxa de reserva. Somando os juros justos . Porém não quiseram aceitar esse acordo . Sou pastor e já tive dois infartos tenho 64 anos . É sou da comissão como sempre fui. Por 38 anos .

    • Marcelo Mahtuk 20.10.2019 at 07:47

      Pastor Ercilio,

      Não entendi se fez uma pergunta ou se desejou fazer um depoimento.
      Mas lendo, fica minha dica para seu condomínio ter um “régua de cobrança” nome esquisito isso.
      Mas são parâmetros predefinidos em assembleia, para que administradora possa fazer acordos, sem consultar.
      Ex.: para divididas de ate 12 meses, fica autorizado administradora, cobrar os encargos financeiros e parcelar em até 12 parcelas. ou então condôminos que nunca tiveram atrasos nos últimos 5 anos pode ser abatido a multa.
      Abraços

Postar um comentário