principais problemas dos síndicos

Confira quais são os principais problemas dos síndicos

Som alto, cachorro barulhento, inadimplência na taxa condominial, reuniões e assembleias vazias. Estes são apenas alguns dos principais problemas dos síndicos. Para assegurar uma administração eficiente é importante saber lidar com esses desafios e encontrar soluções criativas.

Como a legislação tem se aperfeiçoado no que diz respeito aos condomínios, e as pessoas estão cada vez mais exigentes, os síndicos se veem obrigados a assumir uma série de responsabilidades.

Entre essas atribuições está a de conduzir adequadamente a rotina dentro de um condomínio, em meio a torcidas contra e a favor. Para conhecer melhor os obstáculos e como resolvê-los, acompanhe as dicas do nosso post.

O papel do síndico no condomínio

O síndico tem suas funções burocráticas estabelecidas no artigo 1.348 do Código Civil, bem como os deveres impostos pelo cargo, como o de promover um ambiente saudável dentro do condomínio.

Entre as principais obrigações previstas na legislação, estão:

  • Convocar assembleias;
  • Representar o condomínio em juízo e fora dele;
  • Comunicar os moradores da existência de ações judiciais ou administrativas;
  • Cumprir e fazer cumprir a convenção;
  • Conservar e zelar pela área comum;
  • Elaborar o planejamento orçamentário anual;
  • Impor e cobrar as devidas multas aos condôminos;
  • Prestar contas à assembleia;
  • Realizar o seguro do condomínio.

Além de todas essas funções previstas no Código Civil, o síndico é aquele a quem todo condômino recorre em situações corriqueiras, desde o barulho do vizinho até o brinquedo enferrujado do playground.

Os problemas mais comuns no condomínio

Entre os problemas mais sérios dos condomínios está a taxa de condomínio. Por um lado, os condôminos reclamam da cobrança. Por outro, o síndico tem que se esforçar para não fechar o mês no vermelho.

Para resolver este problema, é importante encontrar alternativas para baixar a taxa, como a portaria remota, criar medidas para a economia de energia elétrica, como a instalação de sensores, entre outras. Além do valor da cota mensal, outros problemas recorrentes são elencados a seguir:

Pets

O IBGE estima que existam 132 milhões de animais de estimação no país. Nos condomínios, eles não podem ser proibidos. Logo, os principais problemas são com relação a barulho e fezes não recolhidas. Portanto, é importante criar uma campanha de conscientização e estipular que os donos os levem sempre na coleira e no elevador de serviço.

Garagem

Carros maiores que não cabem na vaga, vizinhos que usam outras vagas, visitantes que estacionam em local inapropriado, entre outros problemas fazem parte do dia a dia. A melhor saída é demarcar as vagas, emitir comunicados sobre a importância de se respeitar o espaço de cada um e impor advertências e multas a condôminos mais abusados.

Lixo

As lixeiras devem ser bem sinalizadas e instaladas em locais de fácil acesso. Mas, na prática, elas estão entre os problemas dos síndicos, pois existe uma cultura do descarte incorreto de lixo por parte do brasileiro. Assim, é importante estabelecer as regras no Regimento Interno e impor sanções aos condôminos.

Segurança

Os condomínios têm fama de serem mais seguros que residências comuns. Entretanto, o síndico enfrenta problemas, como a falta de controle de acesso na portaria, moradores que esquecem o portão aberto, além do próprio risco de furtos e roubos.

Para resolver esse impasse, o gestor condominial precisa monitorar o trabalho dos porteiros. Além disso, deve mostrar aos condôminos a importância da automação e do circuito interno de segurança.

Esses são os problemas dos  mais corriqueiros, embora cada residencial tenha desafios próprios, mas que podem ser superados com diálogo e uma administração eficaz.

As principais dificuldades do síndico

As responsabilidades pertinentes ao síndico são desafiadoras. Além disso, sempre se tem a sensação de que ao resolver um problema, aparecem outros.  As principais dificuldades do gestor dizem respeito à incapacidade de lidar com a pressão exercida pelos condôminos, pela má gestão do tempo e a falta de colaboração de funcionários e conselheiros.

Muitos síndicos, sejam orgânicos ou profissionais, exercem outras atividades que não apenas a gestão de determinado condomínio. Por isso é essencial que saibam administrar a agenda para não acumular tarefas nem ficar sobrecarregado.

Além disso, muitos residenciais contam com administradoras de condomínios, conselho fiscal, subsíndico, além do zelador e outros profissionais contratados. É crucial que o síndico delegue tarefas e também conte com a participação de todos os envolvidos na hora de resolver problemas.

Um dos problemas dos síndicos mais comuns é a falta de empatia e até mesmo de respeito dos condôminos com relação à sua atuação. Por isso, é muito importante que os moradores prezem pela boa educação e respeito para manter boas relações.

5 elementos essenciais para uma boa gestão e para eliminar os problemas dos síndicos

Como você conferiu até aqui, os problemas dos síndicos fazem parte do dia a dia. Mas não é por isso que o profissional deve se acomodar. Confira nossas dicas para construir uma boa gestão e evitar problemas:

Use a tecnologia a seu favor

Existem diversos aplicativos de apoio à gestão condominial com agendas de manutenções, gestão do tempo, fluxo de caixa, entre outros. Basta baixar no celular ou computador e
inseri-los em sua rotina.

Seja organizado

Tanto nas contas quanto na agenda de atendimentos e no planejamento de manutenções, é importante ter organização e disciplina. Nesse quesito é essencial fazer a gestão de documentos para que não haja o risco de extravios.

Manutenção em dia

É muito desagradável ser cobrado por um condômino sobre a troca de extintores ou a limpeza da caixa d’água. Por isso, mantenha um planejamento atualizado das manutenções periódicas para não dar brechas a reclamações.

Receba bem os feedbacks

O síndico está em uma posição de liderança e, por isso, precisa receber bem os feedbacks para melhorar sua gestão. Esteja sempre aberto a críticas e saiba potencializar os elogios.

Controle o fluxo de caixa

A velha regra de não gastar mais do que recebe vale para o síndico. Tenha ciência das despesas e receitas e não inicie projetos sem um bom planejamento.

Para viver em harmonia no condomínio, amenizando ou eliminando os problemas dos síndicos, os gestores devem se dedicar para construir uma administração transparente e sólida nas decisões.

Nosso artigo foi útil para você? Quer continuar acompanhando outros assuntos relacionados ao cotidiano dos condomínios? Então curta o Facebook da Manager!

Commentários (0)
Postar um comentário

Commentários (0)
Postar um comentário