Portaria de Segurança

Portaria de Condomínio: Aliada da segurança

A portaria de condomínio é um dos locais mais visados quando se trata do acesso de criminosos. Segundo uma pesquisa da Secretaria de Segurança de São Paulo, o número de furtos e roubos nesses empreendimentos cresceu 56% em 2018. Diante de um cenário como esse, é cada vez mais necessário investir em soluções que garantam a segurança de moradores, colaboradores e terceiros.

Isso envolve sistemas como câmeras, alarmes e controles de acesso. Entretanto, não são somente os recursos eletrônicos que trazem proteção. É preciso que os porteiros e zeladores sejam treinados, e condôminos conscientizados por meio de medidas criadas após uma análise de riscos por especialistas e gestores.

Quais são as principais funções da portaria de condomínio?

Engana-se quem pensa que a portaria é responsável apenas pelo monitoramento de câmeras. Muito pelo contrário. Diversos condomínios já contam com serviços terceirizados de segurança e monitoramento.

Na prática, a portaria de condomínio possui a missão de controlar o fluxo de pessoas. Nesse sentido, o porteiro deve coletar informações pessoais de visitantes, fornecedores, entre outros, e confirmar sua entrada com o morador. Também deve ter atenção a acessos pela garagem, verificar se realmente é o condômino que se encontra no veículo, entre outras ações que contribuem diretamente com a segurança.

Além disso, é de sua responsabilidade receber correspondências e encomendas feitas pelos moradores. O porteiro também é responsável por garantir a ordem no condomínio. Por isso, é fundamental que esteja sempre atento e, ao detectar qualquer anormalidade, notificar o síndico.

Quais são as principais regras de segurança da portaria de condomínio?

Para que cada atividade da portaria de condomínio funcione com excelência, é essencial seguir algumas regras. Antes de explicá-las, é importante salientar que cada empreendimento possui suas normas, relacionadas na convenção e regimento interno. Desse modo, é fundamental seguir à risca.

A principal regra da portaria é: jamais deixe um visitante entrar sem a devida identificação e autorização do morador. Esse cuidado é capaz de proteger não apenas o espaço, mas principalmente a integridade física e os bens materiais do porteiro e dos condôminos.

Portanto, é essencial que o porteiro não abra o portão até que as identificações sejam feitas. O mesmo é aplicado para entregas de delivery e outras. Nesse caso, normalmente é solicitado ao morador que busque a encomenda na portaria.

Outro fato importante é que a portaria de condomínio jamais deve aceitar ou armazenar objetos pessoais dos moradores, como chaves do apartamento, chaves de veículos, bolsas e documentos.

Equipamentos essenciais para o correto funcionamento da portaria

Os recursos tecnológicos são cada vez mais necessários nos condomínios, na medida em que a criminalidade aumenta e os empreendimentos vão se tornando maiores e mais complexos. Nesse aspecto, a portaria de condomínio deve ser um ambiente estruturado, capaz de facilitar as atividades diárias e o monitoramento.

Entre os recursos mais utilizados estão as plataformas de controle de acesso, o monitoramento por câmeras, as guaritas blindadas, sensores de presença, botões de pânico, entre outros.

É importante também trocar as planilhas manuais por sistemas que auxiliem na organização e agilidade das entradas e saídas.

3 principais erros nas portarias de condomínio

Gerir a portaria de condomínio não é uma tarefa tão simples. Porém, com as condutas e soluções adequadas, a função se torna mais eficiente e assertiva. Ao mesmo tempo, convém evitar alguns erros que podem comprometer de forma significativa a segurança dos empreendimentos. Veja 3 deles:

1. Ausência das regras de funcionamento

Como citado no início do artigo, cada condomínio possui um regimento interno, com normas claras e objetivas a respeito do funcionamento de todo o espaço. Nesse documento deve haver informações também sobre a portaria, detalhando medidas, regras e condutas de cada envolvido.

Um empreendimento que não possui normas diretas a respeito de todas as funções da portaria, pode estar suscetível à investidas criminosas ou acidentes.

2. Falta de investimento em equipamentos de segurança

Sejam câmeras ou sistemas para controle de visitantes, por exemplo, fato é que os equipamentos são essenciais para garantir a segurança dos condomínios de forma eficiente. Nesse sentido, um dos erros fatais da portaria de condomínio é a ausência de investimentos em recursos de segurança, em função da crença errônea da gestão condominial sobre a respeito de custos.

3. Permitir que o porteiro se desvie de sua função

A portaria jamais deve ficar sozinha. Por isso, é fundamental que todo o condomínio respeite a função do porteiro, não solicitando ações extras, como ajuda com as compras, entregas ou verificação em outros andares.

Esse tipo de atitude coloca todo o condomínio em perigo. Desse modo, é essencial manter o profissional em seu posto, garantindo a segurança de todos os moradores.

Nosso artigo sobre portaria de condomínio foi útil para você? Quer saber mais sobre esse e outros assuntos relacionados? Então continue acompanhando o blog da Manager!

Confira agora, quais são as principais atribuições do zelador do condomínio. 

Commentários (2)
Postar um comentário

Commentários (2)
  1. Edson costa da silva 21.10.2019 at 11:45

    Bom dia ..gostaria de saber se possível..como faço pra entregar um corriculun em mãos e assim ficar a disposição de avaliação futura.m.?

Postar um comentário