Limpeza de condomínio

Limpeza de condomínio: 6 dicas preciosas para bem de todos

A limpeza de condomínio é uma das atividades mais importantes no que se refere ao
bem-estar e segurança de condôminos e terceiros. Porém, ao contrário do que alguns possam pensar, essa não é uma tarefa simples, principalmente, em função do tamanho dos empreendimentos e das diversas áreas que os compõe.

Pensando nisso, criamos esse artigo, que traz características e processos indispensáveis para manter todos os ambientes em perfeito estado de higiene e conservação. Confira!

A importância da limpeza de condomínio

Ter um local limpo e saudável para viver é essencial para garantir uma boa saúde, satisfação e convivência entre condôminos. Ao contrário, quando a limpeza de condomínio é negligenciada, a probabilidade de que haja reclamações junto à gestão condominial é grande.

Afinal, é de responsabilidade do síndico manter as áreas comuns em pleno funcionamento, conforme consta no Artigo 1348 do Código Civil. O não cumprimento desse dever pode gerar conflitos e prejudicar a imagem do profissional junto aos condôminos.

Profissionais indispensáveis e suas funções

Para garantir a limpeza de condomínio, alguns profissionais são essenciais. Como dissemos, é papel do síndico administrar todo o processo e garantir que as atividades sejam realizadas com êxito.

Por sua vez, uma das funções do zelador é promover a limpeza e conservação dos empreendimentos, por meio do gerenciamento das atividades e coordenação das equipes responsáveis. Ou seja, esse profissional atua como o braço direito do síndico, de modo a garantir que o dia a dia condominial seja o mais satisfatório possível.

Os responsáveis pela execução das tarefas são os faxineiros, que realizam o trabalho rotineiro de limpeza em geral, seja em relação à infraestrutura ou equipamentos disponibilizados nos condomínios.

Regras de limpeza

As necessidades de limpeza de condomínio variam conforme o perfil de cada empreendimento. Por exemplo, se é um ambiente residencial com muitas crianças, necessitará de uma demanda diferente quando relacionado a um edifício corporativo.

Portanto, antes de definir quaisquer normas no regimento interno é preciso primeiramente identificar essas características, fazer um levantamento das áreas comuns e suas demandas, qual a frequência de eventos no local, entre outros aspectos que farão diferença no desenvolvimento de um cronograma.

Importância do check list

Como citamos, a limpeza de condomínio é composta por tipos distintos. E, para que as equipes responsáveis sejam bem direcionadas e conheçam regras, periodicidade de higienização de cada ambiente e  materiais mais indicados, por exemplo, é essencial desenvolver um check list.

Esse documento deve ser bem detalhado, de modo com que todos os elementos que compõem o espaço condominial sejam contemplados.

Tipos de limpeza

Para realizar a limpeza de condomínio de forma eficiente, é preciso conhecer os diferentes tipos de procedimentos a serem realizados. São eles:

  • limpeza geral, que atende principalmente os ambientes de maior circulação, como corredores, halls e elevadores;
  • manutenção, que pode ser realizada várias vezes ao dia para manter determinadas áreas sempre limpas. Um exemplo é a varrição nas área comuns;
  • conservação, normalmente feita nos horários de maior movimento em um condomínio, com o objetivo de manter os ambientes de grande circulação limpos por mais tempo, já que recebem um alto fluxo de pessoas.

Conheça 6 boas práticas para manter o condomínio limpo e conservado

Para auxiliar os síndicos na execução da limpeza de condomínio e, dessa forma, garantir a satisfação de condomínios, listamos 6 práticas valiosas para o dia a dia dos empreendimentos. Confira:

1. Determine a frequência de cada limpeza

Além do levantamento das áreas comuns e características de cada condomínio, é fundamental determinar a frequência de cada limpeza, calculada a partir do perfil dos empreendimentos.

Apesar de ser uma questão particular, é possível se nortear a partir da seguinte ordem:

Limpeza diária:

  • Portaria;
  • Hall;
  • Elevadores;
  • Banheiros;
  • Calçadas;
  • Objetos de decoração.

Limpeza semanal:

  • Caixas de hidrantes e extintores;
  • Playgrounds;
  • Churrasqueiras;
  • Móveis das áreas comuns.

Limpeza quinzenal:

  • Espelhos;
  • Vidros;
  • Pisos de madeira;
  • Paredes;
  • Salas de máquinas.

Limpeza mensal:

  • Janelas externas;
  • Salão de festas;
  • Garagens;
  • Grades;
  • Escadas de emergência.

2. Desenvolva uma rotina de limpeza de condomínio

Outra ação importante é desenvolver uma rotina de limpeza e conservação que determine as áreas a serem limpas a cada dia da semana.

Para criá-la, alguns aspectos a serem levados em conta são as escalas e horários das equipes, horários de menor movimentação e locais que devem ser limpos diariamente, semanalmente, quinzenalmente e mensalmente.

3. Crie regras

Como dissemos, cada condomínio possui suas próprias regras em relação à limpeza. Desse modo, é importante criá-las para garantir que a higiene sempre esteja de acordo com as expectativas.

Além disso, os profissionais responsáveis sentem-se mais seguros sobre o que é permitido, quais os deveres e outras informações importantes.

4. Defina a frequência de compras

Segundo especialistas, realizar compras de materiais de limpeza semanalmente pode acabar onerando o orçamento. Isso porque normalmente itens que não são necessários no momento acabam sendo incluídos na lista.

O indicado é fazer compras de insumos mensalmente e, caso haja necessidade de produtos específicos, isso deve ser feito ao longo do período.

5. Invista em materiais adequados

Tão importante quanto definir a periodicidade da compra é investir em materiais adequados para a limpeza de condomínio. Afinal, cada ambiente requer produtos específicos, ao mesmo tempo que se forem utilizados em áreas não indicadas podem acabar comprometendo a estrutura. Consequentemente, o empreendimento tem prejuízos.

6. Priorize o uso de equipamentos de segurança

Os equipamentos de segurança individual (EPIs) são fundamentais para a realização da limpeza de condomínio. Isso garante que os colaboradores não entrem em contato com materiais tóxicos e sofram acidentes.

Consequentemente, se garante a segurança e a integridade do síndico, que pode ser responsabilizado no caso de negligência.

Mão de obra própria ou terceirizada?

Como você pôde comprovar, a limpeza de condomínio conta com uma série de detalhes que não podem passar despercebidos. Para executar a atividade, é possível contar com mão de obra própria ou terceirizada.

Ambas possuem suas vantagens. Porém, hoje é comum que os empreendimentos terceirizem o serviço, de modo a transferir a responsabilidade pela execução e supervisão para empresas especializadas. Assim, o síndico pode focar em outros afazeres importantes ao dia a dia condominial.

Nesse aspecto, é importante frisar a importância de contratar empresas idôneas e monitorar o desempenho de colaboradores, de modo que, ao detectar problemas, a gestão do condomínio possa solicitar melhorias por parte da prestadora.

Nosso artigo sobre limpeza de condomínio foi útil para você? Quer saber mais sobre esse e outros assuntos relacionados? Então continue acompanhando o blog da Manager!

Commentários (0)
Postar um comentário

Commentários (0)
Postar um comentário