gestão financeira

O benefício da boa gestão financeira no condomínio

Quando a gestão financeira vai bem, o condomínio vai melhor ainda. Isso porque sem dívidas é possível realizar novas obras que proporcionam o bem-estar dos condôminos, o clima se torna harmonioso e não há surpresas desagradáveis em relação à taxa condominial.

Você deve estar pensando: como chegar ao final do mês com o caixa do condomínio no azul diante de tantas dificuldades, como a inadimplência, o reajuste nos serviços e as emergências que teimam em acontecer? É justamente sobre isso que vamos falar nesse post. Saiba o que fazer uma administração eficiente e atingir o objetivo!

Principais problemas financeiros de condomínios (e como resolvê-los)

Como uma empresa, o condomínio precisa de seriedade no cuidado com a gestão financeira. Sendo assim, uma empresa pode falir sem um controle do caixa, mas o condomínio pode viver uma crise sem tamanho, com reflexos diretos na vida de cada morador.

Alguns dos principais problemas que afligem as finanças dos empreendimentos são:

  • Rotatividade dos síndicos: mudanças causam instabilidade nas finanças se não forem bem conduzidas;
  • Inadimplência: normalmente, a taxa de inadimplência varia de 10% a 20%, afetando os serviços do condomínio;
  • Obras e consertos emergenciais: assim como numa casa, um reparo emergencial exige a retirada de dinheiro do caixa que não estava prevista;
  • Multas trabalhistas: dependendo do acordo feito com antigos funcionários, eles podem reaver seus direitos e o condomínio condenado é obrigado a realizar o pagamento;
  • Falta de controle do fluxo de caixa: quando falta um monitoramento constante do caixa, corre-se o risco de gastar mais do que ganha.

Segundo assim, é extremamente importante evitar esses problemas com um bom controle do capital, uma atenção redobrada com o contrato de trabalho dos funcionários e ainda a implantação de um fundo de reserva para obras emergenciais. O fundo de reserva, todavia, deve ser aprovado em assembleia.

O papel do síndico na gestão financeira

Como o síndico exerce um papel de liderança à frente da administração condominial é importante que ele tome algumas providências para garantir uma boa gestão financeira.

Portanto, deve conhecer o cenário real das finanças do local e fazer o planejamento orçamentário, com todas as despesas e receitas previstas. Como a taxa de inadimplência é um problema recorrente nos empreendimentos, ela deve ser prevista no planejamento orçamentário.

Sendo assim, o síndico deve ter um perfil analítico e ser muito bem organizado para evitar esquecimentos e extravios de recibos e notas.

É importante, portanto, que o síndico esteja atento ao fato de que qualquer valor retirado ou colocado no caixa deve ser anotado. Para isso, uma planilha de Excel ou um software de gestão ajudam bastante.

A importância do conselho para a gestão financeira

O condomínio não é obrigado a ter conselho fiscal ou consultivo. Desde 2002, quando o Código Civil foi reformulado, o artigo 1.356 dita que o conselho é opcional.

Entretanto, o conselho está presente em muitos residenciais com uma função primordial: analisar as contas do condomínio e dar o seu parecer favorável ou não. A aprovação final, porém, será de responsabilidade de todos os condôminos em assembleia.

O conselho é formado geralmente por três condôminos voluntários que têm funções importantes na gestão financeira. Além da função analítica, os conselheiros também podem levantar as prioridades do condomínio e, baseados nelas, fazer o planejamento financeiro juntamente com o síndico.

O síndico pode ainda consultá-los antes da contratação de um fornecedor, por exemplo, fazendo uma cotação mínima com três candidatos para que o condomínio possa votar na melhor proposta.

Papel da administradora na gestão financeira

A administradora tem um papel fundamental na gestão financeira do condomínio. Afinal, ela é responsável pelos pagamentos e recebimentos, monitoramento da inadimplência dos condôminos e na elaboração de balancetes.

É por isso que as administradoras são empresas especializadas na gestão de condomínios, com equipes técnicas para fornecer assessoria completa ao síndico e aos conselheiros.

Justamente por isso, a administradora precisa ter um canal de comunicação aberto com o síndico e os demais envolvidos na gestão condominial para que tudo flua da melhor maneira possível.

4 dicas para uma boa gestão financeira

Um condomínio tem um alto custo de manutenção mensal, ao mesmo tempo em que tem basicamente uma única fonte de receita, que é o pagamento da taxa condominial.

Por isso, é importante desenvolver boas práticas de gestão financeira para não ter prejuízos e ainda conseguir recursos para promover melhorias para todos os moradores.

Sendo assim, acompanhe nossas 4 dicas sobre este tema:

1.Planejar

Tudo começa com um bom planejamento. Por isso, não é bom confiar na memória, mas sim escrever tudo o que deve ser feito num determinado período, como o semestre ou o ano. Aqui devem ser somados os gastos fixos, variáveis, as manutenções periódicas e os investimentos desejados.

2.Executar e acompanhar

Com a percepção real do cenário, é possível saber quanto deve ser o valor fixado na taxa de condomínio, gastar a quantia equivalente à entrada de recursos e não fazer gastos extras, como uma decoração natalina sem os recursos em caixa.

3.Negociar

O síndico e seus assessores devem ser bons negociadores. Diante da necessidade de uma renovação de seguro, da entrada de um novo prestador de serviços ou até mesmo do pagamento de uma multa, deve-se negociar para obter o melhor valor, a menor taxa de juros e o prazo mais longo de pagamento.

4.Buscar alternativas

Na hora de fazer a gestão financeira é importante buscar alternativas para reduzir gastos e aumentar a receita. Portanto, muitos condomínios têm encontrado saídas para ter fontes extras de receitas.

Entre elas está o aluguel da área comum para a realização de eventos como Food Truck ou feiras que atribuam valor aos condôminos. Também é possível reduzir os gastos com luz e água promovendo campanhas de conscientização e substituindo fontes convencionais por energia solar.

A gestão financeira eficiente do condomínio garante mais tranquilidade ao síndico, conselheiros e administradora, além de favorecer os condôminos que podem ver reduzidas as suas taxas condominiais e ter à disposição mais serviços de qualidade.

Gostou do nosso artigo? Acha que o conteúdo também pode ser interessante para os seus conhecidos? Então compartilhe em suas redes sociais!

Commentários (0)
Postar um comentário

Commentários (0)
Postar um comentário