gestão condominial

6 dicas para a eficiência na gestão condominial

A gestão condominial é uma tarefa complexa. O cotidiano desses empreendimentos é repleto de processos burocráticos, financeiros, administrativos e interpessoais.

Nesse aspecto, uma dúvida comum é sobre quem são os responsáveis pela realização das atividades e por manter os locais em pleno funcionamento.

A realidade é que são diferentes frentes de atuação quando se fala em administração de condomínios.

Quer saber quais são elas? Então acompanhe o nosso post!

Tipos de gestão condominial

Por lei, todos os condomínios devem ter um representante legal. Porém, isso não torna obrigatório que seja um morador.

Desse modo, existem diferentes tipos de gestão condominial, aplicados dependendo do perfil de cada empreendimento. Veja quais são eles:

  • autogestão, que é a administração realizada pelo próprios condôminos. Nesse caso, um síndico proprietário ou locatário de imóvel é eleito em assembleia;
  • autogestão assistida, realizada pelo síndico, conselhos e empresas terceirizadas;
  • gestão com empresa administradora, responsável por cuidar das rotinas administrativas e cumprimento de regras;
  • síndico profissional, contratado diretamente por moradores ou indicado por administradoras de condomínios.

Principais objetivos da gestão condominial residencial

A gestão condominial de empreendimentos residenciais visa manter a infraestrutura em perfeita ordem, de modo a garantir a satisfação de moradores.

Além disso, administra todos os processos necessários ao cotidiano, como pagamento de contas, manutenções e contratação de funcionários.

Outro objetivo é proporcionar um clima agradável e harmônico entre condôminos, realizando a mediação de conflitos.

Principais objetivos da gestão condominial de prédios comerciais

Assim como a gestão condominial de empreendimento residenciais, a administração de edifícios comerciais visa manter toda a estrutura em pleno funcionamento.

Porém, nesse caso, a tarefa costuma ser mais complexa, já que são empresas de diferentes segmentos e portes, além do alto fluxo de pessoas nos empreendimentos.

Apesar de o número de conflitos entre condôminos ser menor nesse caso, as demandas costumam ser maiores do que em um espaço residencial, em função do número de visitantes.

Papel do síndico na gestão condominial

O síndico é o representante dos condôminos, tanto em juízo quanto fora dele. Ou seja, é ele quem responde pelos processos realizados no dia a dia e, em caso de problemas judiciais ou administrativos, deve representar os moradores.

Papel das administradoras de condomínio na gestão condominial

Na medida em que a estrutura dos empreendimentos imobiliários foi aumentando, a gestão condominial realizada pelo síndico foi se tornando mais complexa.

Por esse motivo, é cada vez mais comum a contratação das administradoras de condomínio, responsáveis pelo suporte nas diversas atividades que envolvem o local.

É importante frisar que, mesmo com a contratação dessas empresas, o síndico permanece como representante dos condôminos, tomando decisões e providências.

Papel do conselho na gestão condominial

Para que a gestão condominial conte com análise de contas, fiscalização e realização de pareceres, são escolhidos três conselheiros. Esses devem fazer parte do conselho administrativo. Se estiver previsto em convenção, o condomínio pode contar ainda com o conselho consultivos, também formado por três membros.

A importância da assembleia de condomínio

Os condôminos são parte fundamental da gestão condominial. Afinal, por meio do voto de cada um nas assembleias, é que são decididos os rumos que o empreendimento tomará.

Portanto, é dever dos moradores terem participação ativa na reuniões, de modo a contribuírem para o funcionamento satisfatórios dos empreendimentos.

Do contrário, não é possível reclamar ou fazer reivindicações sobre questões definidas quando se estava ausente.

Dicas para a eficiência na gestão

Como dissemos, a gestão condominial é bastante complexa. Pensando nisso, listamos 6 dicas importantes para tornar o processo mais assertivo. Confira:

  1. tenha um planejamento de ações bem estruturado. Isso favorece a organização de atividades importantes ao dia a dia e faz com que os objetivos sejam atingidos;
  2. mantenha um controle rígido das finanças, listando contas fixas, entradas e saídas, projeções futuras e outros elementos;
  3. seja empático com os condôminos, ao mesmo tempo em que há firmeza em fazer cumprir as regras;
  4. invista em gestão de pessoas para que as tarefas sejam desempenhadas com motivação e êxito;
  5. conte com uma assessoria jurídica para auxiliar em questões legais e outras dúvidas;
  6. terceirize serviços, como a contratação de uma administradora de condomínios e empresas especializadas em facilities.

Depois de ler o nosso artigo, o assunto ficou mais claro para você? Acha que o conteúdo também pode ser interessante aos seus conhecidos? Então compartilhe agora mesmo em suas redes sociais!

Commentários (0)
Postar um comentário

Commentários (0)
Postar um comentário