elevador do condomínio

Etiquetas e regras do elevador do condomínio: sabe quais são elas?

Não há como negar: o elevador traz praticidade, além de ter virado ponto de encontro de vizinhos. Porém, também é um motivo de discórdia em muitas assembleias de moradores. Para auxiliar condôminos a saberem como se comportar ao usar o equipamento, assim como as regras do elevador do condomínio, é que fizemos esse post.

Afinal, morar em copropriedades tem sido uma opção de boa parte das pessoas nos centros urbanos,motivadas principalmente pela segurança e comodidade. Devido a isso, estima-se que existam 55 mil elevadores só em São Paulo, segundo o Sindicato das Empresas de Instalação e Manutenção (Seciesp).

A todo momento, eles transportam pessoas, animais e cargas, especialmente em prédios a partir de cinco pavimentos. Aliás, o equipamento é obrigatório nesses casos, ou quando a altura entre os andares permitir a instalação do elevador para garantir a acessibilidade de cadeirantes, por exemplo.

Quais são as principais regras do elevador do condomínio?

Ao circular em um prédio, seja residencial ou comercial, você certamente já se deparou com placas informativas sobre o peso máximo permitido nos elevadores ou alertas para se certificar de que os mesmos se encontram no andar antes de entrar, não é mesmo?

O motivo é que existem regras de segurança do fabricante, além de normas para padronizar o uso dos equipamentos, aumentando a sua vida útil e evitando danos.  Veja algumas das principais regras do elevador do condomínio em relação à segurança e à economia de energia:

  • não lotar o elevador, já que a capacidade é de 8 passageiros ou 600 quilos (dependendo da dimensão da cabine);
  • entrar só depois de confirmar que o elevador se encontra no andar;
  • chamar apenas um elevador por vez para evitar gastos de energia;
  • obedecer as regras do regimento interno quanto ao uso do elevador.

As regras do elevador do condomínio são específicas ou universais?

Algumas regras do elevador do condomínio são específicas e outras universais. Quando se fala da capacidade de peso da cabine, por exemplo, segue-se à regra de segurança estipulada pelo fabricante. Há ainda algumas leis municipais e estaduais que tratam do tema.

Em São Paulo, por exemplo, a Lei 11.995/96, proíbe a discriminação social e racial no uso dos elevadores. Além disso, a lei municipal paulista 12.722/98 dita as normas de segurança, como a proibição do acesso de crianças menores de 10 anos desacompanhadas de responsáveis nos elevadores.

No entanto, na maioria dos casos, as regras do elevador do condomínio estão nas normas do regimento interno, que estipulam diretrizes como não usar o elevador social com carrinhos de supermercado , animais sem coleira, entre outros. Essas, entretanto, cabem ao síndico definir juntamente aos moradores.

Quais são os principais perigos do elevador do condomínio e como se proteger?

Eles são exceção diante do grande volume de pessoas que utilizam os elevadores todos os dias, mas acontecem: são os acidentes com passageiros. Sendo assim, existe o risco de cair no fosso, ficar com um objeto (como alças de bolsas) preso na porta, ficar preso no elevador por uma eventual falta de luz ou, infelizmente, ser vítima de um crime, como um furto ou um assédio.

Para isso, muitos condomínios têm se prevenido instalando câmeras internas nos elevadores. Aliás, isso não afeta a privacidade do condômino, mas sim aumenta a sua segurança.

Além disso, a maioria dos síndicos instala placas de aviso sobre os cuidados na hora de entrar na cabine para evitar quedas, mesmo que não existam leis locais sobre essa necessidade.

Nesse sentido, outras dicas são ficar atento com o comportamento de crianças, evitar o lançamento de objetos no vão da porta, a fim de que eles caiam no fosso, e fazer a manutenção periódica exigida pelo fabricante.

Uso dos elevadores em mudanças: quais são as principais normas?

As mudanças, bem como o transporte de cargas, bicicletas e animais nos elevadores, gera discussões até mesmo acaloradas nos condomínios. Por isso, é tão importante discutir as regras do elevador do condomínio nas reuniões e aprová-las em assembleia para que todos saibam o que fazer.

A maioria dos condomínios tem dois elevadores por torre, o social e o de serviços. Assim, as mudanças podem ser transportadas no elevador de serviços, desde que seja em horário comercial, de segunda à sexta-feira, por exemplo. Alguns condomínios também permitem a mudança no sábado até o meio-dia, mas costumam barrar o domingo.

É bom lembrar que, se houver algum dano, seja no espelho, nas laterais ou no piso, o condômino deve fazer o ressarcimento.

Quais são as principais regras de etiqueta para uso do elevador?

Quando se fala em regras de etiqueta em condomínio, é bom ter em mente aquele velho ditado que diz que onde começa o direito do vizinho, termina o seu.  Portanto, é de bom tom evitar incomodar as outras pessoas que estão utilizando o elevador. Veja nossas dicas:

  • evite usar o viva-voz do celular no elevador;
  • cumprimente as pessoas, desejando bom dia;
  • segure a porta do elevador para pessoas idosas passarem primeiro;
  • procure deixar a passagem liberada para quem vai descer primeiro;
  • não use palavras de baixo calão enquanto divide o elevador com outra pessoa;
  • use o elevador de serviço nos seguintes casos: quando estiver levando a bicicleta, bagagens, carrinho de compras, animais de estimação ou ainda se for banhista e estiver com areia nos pés.

Para concluir, o equipamento é de uso coletivo, no qual as normas da boa convivência e as regras do elevador do condomínio devem ser seguidas para proporcionar o bem-estar geral.

Gostou do nosso post? Acha que pode ser interessante para os seus conhecidos? Então compartilhe agora mesmo em suas redes sociais!

Commentários (0)
Postar um comentário

Commentários (0)
Postar um comentário